Notícias

28/03/2015Papa participa da última pregação da Quaresma

Cidade do Vaticano (RV) – O Papa Francisco participou na manhã desta sexta-feira (27/03) da última pregação da Quaresma, feita pelo Pregador da Casa Pontifícia, Fr. Raniero Cantalamessa.

A fé comum do Oriente e do Ocidente guiou as meditações precedentes, e esta última foi dedicada ao problema da salvação, ou seja, de como ortodoxos e mundo latino compreenderam o conteúdo da salvação cristã.

Para o Fr. Cantalamessa, este é o campo em que é mais necessário para os latinos dirigirem seu olhar para o Oriente, “a fim de enriquecer e, em parte, corrigir o nosso modo difuso de conceber a redenção operada por Cristo”.

Em sua pregação, o capuchinho apresenta o modo diferente de entender a salvação entre Oriente e Ocidente, que tem origem na compreensão do pecado original e, portanto, no efeito primário do batismo. Os orientais nunca entenderam o pecado original no sentido de uma verdadeira "culpa" hereditária, mas como a transmissão de uma natureza ferida e propensa ao pecado, como uma perda progressiva da imagem de Deus no homem, não só devida ao pecado de Adão, mas ao de todas as gerações sucessivas.

“Não podemos deixar de lhes agradecer por terem cultivado e tenazmente defendido ao longo dos séculos um ideal de vida cristã bonito e edificante, do qual toda a cristandade se beneficiou, inclusive por meio do silencioso instrumento do ícone”, disse o Fr. Cantalamessa, que concluiu:

“Desenvolvemos as nossas reflexões sobre a fé comum do Oriente e do Ocidente tendo à nossa frente, nesta capela, a imagem da Jerusalém celeste com os santos ortodoxos e católicos reunidos em grupos mistos, de três em três. Peçamos a eles a ajuda para realizar, na Igreja aqui da terra, a mesma comunhão fraterna de amor que eles vivem na Jerusalém celeste. Agradeço ao Santo Padre e aos veneráveis padres, irmãos e irmãs, pela benévola atenção e desejo a todos uma Feliz Páscoa!”.


+ mais

Ver as últimas notícias

24/03/2015
Cristãos? Sim, mas...

Quantos se dizem cristãos mas não aceitam «o estilo» com o qual Deus nos quer salvar? Papa Francisco definiu-os «cristãos sim, mas...», incapazes de compreender que a salvação passa pela cruz. E Jesus na cruz – explicou o Pontífice na homilia da missa celebrada em Santa Marta na terça-feira 24 de Março – é precisamente o «núcleo da mensagem da liturgia de hoje».

No trecho evangélico de João (8, 21-30), Jesus diz: «Quando elevardes o Filho do homem...» e, prenunciando a sua morte na cruz, recorda a serpente de bronze que Moisés elevou «para curar os israelitas no deserto», sobre a qual se lê na primeira leitura tirada do livro dos Números (21, 4-9). O povo de Deus escravo no Egipto – explicou o Papa – foi libertado: «Eles viram verdadeiramente milagres. E quando sentiram medo, no momento da perseguição do faraó, quando estavam diante do Mar Vermelho, viram o milagre» que Deus realizou para eles. O «caminho da libertação» portanto começou na alegria. Os israelitas «estavam contentes» porque «tinham sido libertados da escravidão», contentes porque «traziam consigo a promessa de uma terra muito boa, só para eles» e porque «nenhum deles tinha morrido» na primeira parte da viagem. Também as mulheres estavam contentes porque tinham consigo «as joias das egípcias».

Mas a um certo ponto, continuou o Pontífice, no momento em que «se prolongava o caminho», o povo já não suportou a viagem e «cansou-se». Por isso começou a falar «contra Deus e contra Moisés: por que nos fizestes sair do Egipto para nos fazer morrer neste deserto?». Começou a «falar mal de Deus e de Moisés», dizendo: «Aqui não há pão nem água e estamos enjoados desta comida tão leve, o maná». Isto é, os israelitas «sentiam-se enjoados da ajuda de Deus, de um dom de Deus. E assim a alegria do início da libertação torna-se tristeza, murmuração».

Provavelmente preferiam «um mago que com uma varinha mágica» os libertasse e não um Deus que os fazia caminhar e que «de certo modo» os fazia «ganhar a salvação» ou «pelo menos merecê-la em parte».

Na Escritura vê-se «um povo descontente» e, frisou Francisco, «a maledicência é uma saída deste descontentamento». Na sua insatisfação «desabafam, mas não se dão conta de que com este comportamento envenenam a alma». Portanto, eis a chegada das serpentes, porque «assim, como o veneno das serpentes, neste momento, o povo estava com a alma envenenada».

Também Jesus fala sobre a mesma atitude, deste «modo de estar descontente, insatisfeito». Referindo-se a excertos do Evangelho de Mateus (11, 17) e de Lucas (7, 32), o Pontífice evidenciou: «Jesus, quando fala desta atitude diz: “Mas quem vos compreende? Sois como os jovens na praça: tocámos músicas e não dançastes; entoámos cânticos de lamento e não chorastes. Mas nada vos satisfaz?”». Isto é, o problema «não era a salvação, a libertação», porque «todos queriam isto»; mas era «o estilo de Deus: não apreciavam o som de Deus para dançar; nem os lamentos de Deus para chorar». Então «o que queriam?». Queriam, explicou o Papa, agir «segundo o seu pensamento, escolher o próprio caminho de salvação». Mas aquela estrada «não levava para lugar algum».

Uma atitude que encontramos ainda hoje. Também «entre os cristãos», perguntou-se Francisco, quantos estão «envenenados» por este descontentamento? Ouvimos dizer: «Sim, é verdade, Deus é bom, mas cristãos sim, contudo...». São aqueles, explicou, «que não completam a abertura do coração à salvação de Deus» e «exigem condições»; os que dizem: «Sim, sim, sim, quero ser salvo, mas por este caminho». É deste modo que o «coração fica envenenado». O coração dos «cristãos tíbios» que sempre têm algo do qual se lamentar. «”Senhor, mas por que me fizeste isto?” – “Mas salvou-te, abriu-te a porta, perdoou-te muitos pecados” – “Sim, é verdade, mas...”». Assim o israelita no deserto: «Gostaria de água, pão, que é o que aprecio, não este alimento leve. Estou enjoado». E também nós «muitas vezes dizemos que estamos enjoados do estilo divino».

Francisco frisou: «Não aceitar o dom de Deus com o seu estilo é o pecado; é veneno; isto envenena-nos a alma, tira-nos a alegria, não nos deixa caminhar».

E «como resolve isto o Senhor? Com o mesmo veneno, com o mesmo pecado»: isto é «ele próprio assume sobre si o veneno, o pecado e foi elevado». Deste modo sara «esta tibieza da alma, este ser cristão pela metade», este ser «cristão sim, mas...». A cura, explicou o Papa, só acontece se «olharmos para a cruz», olhando para Deus que assume os nossos pecados: «o meu pecado está ali». Mas «quantos cristãos morrem no deserto da própria tristeza, da murmuração, do não querer o estilo de Deus». Esta é a reflexão para cada cristão: enquanto Deus «nos salva e mostra como nos salva», eu «não sou capaz de tolerar um pouco uma estrada de que não gosto». É «este o egoísmo que Jesus repreende à sua geração», que dizia de João Baptista: «Mas, era um endemoninhado». Quando veio o Filho do homem definiram-no um «glutão» e um «bêbado». «Quem vos compreende?», disse o Papa, acrescentando: «Também eu, com os meus caprichos espirituais diante da salvação que me oferece Deus, quem me entende?»

Eis então o convite aos fiéis: «Olhemos para a serpente, o veneno no corpo de Cristo, o veneno de todos os pecados do mundo e peçamos a graça de aceitar os momentos difíceis; de aceitar o estilo divino de salvação; de aceitar também este alimento tão leve do qual se lamentavam os judeus»: a graça de «aceitar os caminhos pelos quais o Senhor me conduz». Francisco concluiu desejando que a Semana santa «nos ajude a sair desta tentação de sermos “cristãos sim, mas...”».



22/03/2015
Angelus: “Queremos ver Jesus”. Papa ofereceu Evangelho

Domingo, 22 de março, Angelus com o Papa Francisco: neste V Domingo da Quaresma o Santo Padre referiu o Evangelho de S. João que nos propõe o pedido de alguns gregos ao Apóstolo Filipe que queriam ver Jesus. Presente na cidade santa de Jerusalém para as festividades da Páscoa, Jesus foi acolhido festivamente pelos simples e humildes. Estão também presentes na cidade os sumo sacerdotes e os chefes do povo que querem eliminar Jesus porque consideram-no perigoso e herético – afirmou o Santo Padre. Aqueles gregos tinham curiosidade de ver Jesus.

“Queremos ver Jesus; estas palavras, como tantas outras nos Evangelhos, vão para além do episódio particular e exprimem qualquer coisa de universal; revelam um desejo que atravessa as épocas e as culturas, um desejo presente no coração de tantas pessoas que sentiram falar de Cristo, mas não o encontraram.”

O Papa Francisco apontou a resposta profética de Jesus ao pedido de encontro que lhe é feito: “Chegou a hora de o Filho do Homem ser glorificado”. É a hora da Cruz – frisou o Papa que recordou ainda a seguinte frase da profecia de Jesus que nos fala do “grão de trigo” que caído na terra morre e dá muito fruto. A morte de Jesus, efetivamente, é uma fonte inesgotável de vida nova – afirmou o Santo Padre que exortou os cristãos a oferecerem três coisas àqueles que querem ver Jesus nos dias de hoje: o evangelho, o crucifixo e o testemunho da fé:

“O Evangelho; o crucifixo e o testemunho da nossa fé, pobre mas sincera. O Evangelho: ali podemos encontrar Jesus, escutá-Lo, conhecê-Lo. O crucifixo: sinal do amor de Jesus que se deu a si próprio por nós. E depois uma fé que se traduz em gestos simples de caridade fraterna. Mas principalmente na coerência da vida.”

Depois da recitação do Angelus o Papa Francisco referiu a comemoração neste domingo do Dia Mundial da Água e encorajou a comunidade internacional a estar vigilante na preservação deste bem comum, tendo recordado em particular o cântico do irmão sol de S. Francisco de Assis.

O Papa Francisco saudou todos os grupos presentes na Praça de S. Pedro e para o final guardou uma surpresa em forma de presente: um Evangelho de bolso.

Segundo uma antiga tradição da Igreja, durante a Quaresma entrega-se o Evangelho àqueles que se preparam para o Batismo; assim, o Santo Padre, principalmente, através de um grupo de pessoas sem-abrigo, ofereceu aos fiéis presentes na Praça uma edição de Evangelho em formato de bolso.

Trata-se de uma oferta que também já foi feita em 2014. O Papa Francisco convidou todos a lerem o Evangelho todos os dias pois “a Palavra de Deus é luz para o nosso caminho.”

O Papa Francisco pediu aos fiéis para continuarem a rezar por ele e a todos desejou um bom domingo e um bom almoço.

(RS)

(from Vatican Radio)


20/03/2015 Pregação pontifícia de Quaresma: caridade multiplica carismas
18/03/2015 Papa Francisco "Crianças nos ensinam a sorrir e a chorar" (18/03/15)
13/03/2015 Dois anos com o Papa Francisco – o comentário do P. Lombardi
Ver todas

Eventos

23/03/2015PROGRAMAÇÃO SEMANA SANTA - 29/03 a 05/04

ARQUIDIOCESE DE NATAL
PARÓQUIA DE SANTO AFONSO MARIA DE LIGÓRIO
IGREJA DE SANTO AGOSTINHO

P R O G R A M A Ç Ã O    D A    S E M A N A    S A N T A


DOMINGO DE RAMOS  (29/03/15)

(TRAZER OFERTA DA CAMPANHA DA FRATERNIDADE)

MISSA  (início com bênção e procissão de ramos)     8:00 H  MATRIZ SANTO AFONSO
MISSA (início com bênção e procissão de ramos)    17:30 H  SANTO AGOSTINHO
MISSA  (início com bênção e procissão de ramos)   19:00 H    MATRIZ SANTO AFONSO
ENCENAÇÃO DA PAIXÃO DE CRISTO (MISSÃO ADORAI)  20:00 H  SANTO AGOSTINHO


SEGUNDA-FEIRA  (30/03/15)

MISSA DA COMUNIDADE                                         19:00H    MATRIZ SANTO AFONSO
CONFISSÃO                                                              19:30 H    MATRIZ SANTO AFONSO

TERÇA-FEIRA  (31/03/15)

MISSA DA COMUNIDADE                                         17:30H    SANTO AGOSTINHO
CONFISSÃO                                                               18:00 H   SANTO AGOSTINHO  


QUARTA-FEIRA  (01/04/15)

CONFISSÃO INDIVIDUAL                                        16:00 H    SANTO AGOSTINHO
MISSA DA COMUNIDADE                                        17:30 H    SANTO AGOSTINHO   
MISSA DA COMUNIDADE                                        19:00 H    MATRIZ SANTO AFONSO
APRESENTAÇÃO DO OCTOVOCI DA ESCOLA
DE MÚSICA d
A UFRN SOB A REGÊNCIA
DO MAESTRO ERÍCKSON BEZERRA                    19:30 H   
MATRIZ SANTO AFONSO
CONFISSÃO PARA ADULTOS                                 20:00 H    MATRIZ SANTO AFONSO


TRÍDUO PASCAL

QUINTA-FEIRA  (02/04/15)

MISSA SOLENE DOS SANTOS ÓLEOS                  9:00 H     CATEDRAL METROPOLITANA
(Todos são convidados, sobretudo agentes das
pastorais do batismo, enfermos e crisma) 
LAVA PÉS E  CEIA DO SENHOR                           19:00 H     MATRIZ SANTO AFONSO (MONS LUCAS)
TRASLADO DO SANTÍSSIMO PARA O
SALÃO PAROQUIAL 
E ADORAÇÃO                      20:30  ÀS 22:00 H
LAVA PÉS  E CEIA DO SENHOR                           17:00 H     SANTO AGOSTINHO         (Pe. SÁVIO)
TRASLADO DO SANTÍSSIMO PARA O
SALÃO E ADORAÇÃO
                                             18:30  ÀS 21:00 H.

 

SEXTA-FEIRA DA PAIXÃO  (03/04/15)
(DIA DE JEJUM E ABSTINÊNCIA)

ADORAÇÃO AO SANTÍSSIMO SACRAMENTO     8:00 H  ÀS 12:00 H  SALÃO PAROQUIAL
LITURGIA DA PALAVRA, ORAÇÃO UNIVERSAL, 
ADORAÇÃO DA SANTA CRUZ,
COMUNHÃO EUCARÍSTICA                                    17:00 H   
MATRIZ SANTO AFONSO (Pe. SÁVIO)
VIA SACRA PELAS RUAS DO
CONJUNTO MIRASSOL                                           18:00 H    
MATRIZ SANTO AFONSO (Pe. SÁVIO)LITURGIA DA PALAVRA, ORAÇÃO UNIVERSAL,  
ADORAÇÃO DA SANTA CRUZ,
COMUNHÃO EUCARÍSTICA                                    17:00 H   
SANTO AGOSTINHO  (MONS. LUCAS)
--->   TRAZER UM PEDAÇO DE LENHA


SÁBADO  (04/04/15)
( DIA DO SILÊNCIO)

LAVAGEM DA IGREJA DE S AGOSTINHO
EM PREPARAÇÃO P/ A VIGÍLIA PASCAL             10:00 H ÀS 12:00 H 
VIGÍLIA PASCAL                                                      19:00 H   
MATRIZ SANTO AFONSO  (MONS LUCAS) VIGÍLIA  PASCAL                                                     19:30 H    SANTO AGOSTINHO    (Pe. SÁVIO)
--->TRAZER ÁGUA E VELA EM FORMA DE LANTERNA


DOMINGO  (05/04/15)
DOMINGO DA PÁSCOA DO SENHOR

 MISSA DO DOMINGO DE  PÁSCOA                       8:00 H    MATRIZ SANTO AFONSO  (MONS. LUCAS)
 MISSA DO DOMINGO DE  PÁSCOA
(transmitida pela Rádio Rural)                                    11:00 H   
SANTO AGOSTINHO          (Pe. SÁVIO)
MISSA DO DOMINGO DE  PÁSCOA                       17:30 H    SANTO AGOSTINHO    (Pe. SÁVIO)
 MISSA DO DOMINGO DE  PÁSCOA                      19:00 H    MATRIZ SANTO AFONSO  (MONS. LUCAS )


+ mais

Ver os últimos eventos

22/03/2015
1º Pós Encontro de 2015 - ECC

Convidamos a toda a comunidade para o 1º Pós Encontro do ECC de 2015, que será realizado as 17 hs no próximo dia 22/03/15 no centro pastoral. O tema do encontro será: "Caminhando rumo à Pascoa" que terá como palestrante o nosso acólito Arthur. Estaremos prontos para recebê-los neste momento de aprofundamento da fé. 


22/03/2015
Pós Encontro Segue-me

Acontecerá no próximo dia 22/03 o pós encontro do Segue-me as 17:30 na Igreja de Santo Agostinho com o Tema: Como se comportar nas redes sociais


14/03/2015 Bispo Dom Dino e Equipe Nacional de Jovens Comunicadores celebram missa em S.Agostinho (14/03/15)
08/02/2015 Padre Sávio é o novo Vigário Paroquial (08/02/15)
28/11/2012 Aniversário da paróquia
Ver todos

Horário das missas

Igreja Santo Afonso

Segunda a Sexta19h
Domingo8h - 19h

Igreja Santo Agostinho

Segunda a Sexta17h30
Sábado19h30
Domingo17h30

Capela do Campus

Domingo7h30 - 18h30 - 20h

Santos do dia

30 de Março - São João Clímaco

O Monte Sinai está historicamente ligado ao cristianismo. Foi o lugar indic

ler mais






Paróquia Santo Afonso
Av. Santos Dumont, S/N, Mirassol, Natal-RN afonsinforme@gmail.com
Tel: 84 3615-2855
March 30, 2015, 1:25 am

kflauber@gmail.com